Mas afinal és o quê, vegetariana?

A mania que as pessoas têm de encaixarem as outras em nomes e segmentos, só porque sim. Mas eu também já fui assim.

anamelomatos_49933655_2188807864503060_3380287819262067527_n

Nos últimos anos tem vindo a crescer a “moda” da alimentação saudável. Claro que o típico português, que tem formação em tudo e mais um par de botas, teve de começar a dar uma entendida nesta área e lançou-se às papaias habituais de doutorado na coisa.

Eu desde miúda que ando em busca de uma alimentação mais saudável. Por ter sido a mais gorducha dos meus amigos, sempre andei em nutricionistas. Por isso, esta área está muito próxima de mim e do meu crescimento.

Passei por muitas fases ao longo destes anos. Desde a dieta mais proteica (paleolítica, dos 31 dias, etc), à dieta mais completa em hidratos de carbono (vegan), ou à da “sopa só ao jantar, porque o teu corpo não precisa de mais nada porque vai dormir”. Houve de tudo. As pessoas que se foram cruzando comigo pelo caminho fixaram isto de mim. Como que te sinalizaram como “a” diferente porque tinha uma alimentação distinta da deles, ou do considerado “normal”. Para isso, tinham de te dar um nome. Em parte, é justo. “A vegetariana” foi a última alcunha que recebi.

Nada errado aqui, até te apontarem o dedo quando estás a comer uma fatia de queijo. “Ah, mas tu não podes comer isso. É queijo, é de origem animal”. Aqui, a porca torce o rabo. Mas como assim existe um big brother em cada um de nós, que nos aponta o dedo sobre tudo e nada?

Acredito que temos de ser o que nos faz sentir bem. Com ou sem rótulo, temos de comer o que nos faz ficar tranquilos. Se acredito que os laticínios não fazem bem ao meu corpo, não consumo, não os incluo na minha dieta aka alimentação diária. Mas na alimentação de outra pessoa pode fazer sentido. Uma alimentação saudável é, a meu ver, mais do que só uma alimentação equilibrada, com todos os nutrientes necessários ao nosso organismo. É um estilo de vida que engloba a parte física e mental.

Se antes eu queria ter um rótulo para entrar num segmento, num grupo, hoje fujo a sete pés. Quero ser eu. E encontrar isso dentro de mim.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s