Gut-friendly Granola + a minha História com a Cozinha

[Desliza para baixo para ires direto à receita]

Tinha 10 anos quando pus, pela primeira vez, as mãos na massa… das filhós. A euforia era imensa, e a disputa com o meu irmão mais velho sempre foi a mesma: quem punha as mãos primeiro nos ovos, no açúcar, no azeite, e nos outros 4 ingredientes mágicos que tornam este doce de Natal tão nosso.

A avó Ivone, minha querida, sempre me incentivou e chamou para redor dos tachos, formas e panelas. A verdade é que não era preciso forçar-me para estar na cozinha. Adorava fazer bolos, biscoitos e coisas mais. Com 12 anos já tinha as minhas primeira queimaduras de forno, de quando fazia bolos sozinha em casa. Foi também por volta dessa idade que comecei a frequentar as minhas primeiras consultas de nutrição. Era uma cheinha feliz, que começou desde cedo a ter vergonha de comer doces em frente aos outros porque, gordinhos não podem comer doces em público.

Durante muitos anos pratiquei diferentes desportos, tive restrições alimentares, passei por momentos de sedentarismo, comecei a alimentar-me de forma mais equilibrada e saudável, e comprava gomas às escondidas dos pais. Bem, passei por um pouco de tudo o que é a adolescência, travando sempre uma luta com a minha imagem.

É por volta dos 14 anos que começo a sentir a cozinha como terapia. Encontro alguma paz na minha típica confusão de quando cozinho, entre receitas, ingredientes e farinha a subir paredes. Já nessa idade o açúcar era encarado como um pequeno diabinho na minha vida. Reduzia as gorduras, açúcares e farinhas em todas as receitas que fazia.

Uma das primeiras receitas que fiz foi granola, exatamente porque o Chocapic e as Estrelitas foram abolidas cá em casa durante muitos anos, e eu queria comer “cereais” com iogurte líquido. Ainda nem se falavam nem encontravam granolas nos supermercados. A receita que comecei por fazer levava muito mel e óleo de coco. Ah, esse! Lembro-me que “obriguei” os pais a ir ao Jumbo de Castelo Branco (a 40 minutos de carro do Fundão) comprar este óleo, que na altura se vendia numa garrafa de 250ml de gargalo fino, e só havia uma marca. Imaginem o filme que era quando o óleo ficava sólido… 😅

Hoje a minha receita de granola varia imenso, tendo em conta os ingredientes que tenho em casa e o sabor que lhe quero dar. A mais básica granola leva aveia, frutos secos, mel e canela. Ao longo dos anos fui explorando novos ingredientes e hoje adoro usar especiarias, outros cereais ou adoçantes naturais.

Esta Gut-friendly Granola (= Granola amiga do intestino) é maravilhosa para o nosso intestino, com ingredientes ricos em proteína, como é o caso da quinoa branca, hidratos de carbono complexos como o trigo sarraceno (que é livre de glúten e tem um aporte razoável de fibra), sementes ricas em minerais e gorduras boas (girassol ou abóbora), e hidratos de carbono simples, como o puré de fruta, que serve de adoçante a esta receita livre de açúcares refinados ou químicos.

Uma granola crocante e deliciosa para experimentar e viciar (moderadamente 🙃).

Gut-friendly Granola

Ingredientes:

  • 1 cup de quinoa branca (seca)
  • 1/2 cup de trigo sarraceno (seco)
  • 1/2 cup amêndoas, cajus e castanhas do Brasil (partidas grosseiramente)
  • 1/2 cup sementes de abóbora
  • 1/2 cup sementes de girassol
  • 125g puré de fruta ou vegetais (frescos ou cozidos)*
  • 4 bagas de cardomomo (sementes moídas ou partidas finamente sem a casca com uma faca) ou 1/2 tsp de cardomomo em pó
  • 1 pitada de sal

Método de Confeção:

  1. Pré-aquecer o forno a 160ºC e preparar um tabuleiro com uma folha de papel vegetal (ou usar folha de ir ao forno reutilizável).
  2. Numa taça, juntar os ingredientes secos (quinoa, trigo sarraceno, frutos secos e sementes).
  3. Com a varinha mágica ou um processador pequeno, triturar a fruta (no meu caso usei kiwi muito maduro e ananás que já tinha partidos no frigorífico) com o cardomomo e sal, até ficar cremoso.
  4. Envolver os ingredientes secos com a fruta e incorporar bem.
  5. Deitar esta mistura para o tabuleiro já forrado e levar ao forno por 25min. Não esquecer de ir sempre vigiando de 5 em 5 minutos e mexer caso seja necessário. A granola fica pronta quanto estiver douradinha.
  6. Retirar do forno e deixar arrefecer completamente. Só depois, adicionar num frasco de vidro ou outro recipiente.

Eu acompanhei a granola esta manhã com um puré de kiwi e 2 talos de aipo, iogurte de soja natural, 1/2 quadrado de chocolate 85% cacau partido em pedacinhos e um splash de manteiga de amendoim (só porque me sentia gulosa).

Desejo-vos um dia maravilhoso 🍃🤍 Ana

4 thoughts on “Gut-friendly Granola + a minha História com a Cozinha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s