De Lisboa para a Nova Zelândia – parte I

“Um dia vou fazê-lo. Pode não ser agora, mas eu sinto no meu coração e com toda a verdade que ele me transmite que é isto que eu estou destinada a fazer. Um dia. Será um dia.”

Estes foram alguns dos pensamentos que divagaram pela minha mente durante vários anos. Com maior e ou menor ritmo de aparecimento, como de uma personagem fantasmagórica se tratasse, esta nuvem andava aqui e ali a dar o ar da sua graça. Até ao dia. Até ao dia em que decidi arrumar ideias e tomar a decisão que iria mudar a minha vida.

Desconectar para conectar

anamelomatos_39323077_543876522736564_6758092956780986368_n

No meio do ruído que se faz sentir, encontrar um lugar onde nos desligamos das interferências à nossa essência torna-se uma tarefa árdua. Mas possível.

Não há volta a dar. Fruto dos novos tempos, ou dos tempos que ajudamos a construir, somos criaturas que precisam de ser estimuladas. De viver experiências. De nos sentirmos ativos. E vivos. E em constante movimento.

Manteiga de Amêndoa e Avelã caseira

Sem aditivos, mais económica e só com dois ingredientes!

Desde que deixei de consumir manteiga de origem animal e nas variedades vegetais com compostos de soja, que o leque de opções para barrar o pão da manhã diminuíram. Mortadelas e fiambres também não seriam opção pois deixei de consumir há vários anos, pelo elevado processamento que estes produtos têm.